Universidades aprovam nome social para inscrição no vestibular

Universidade no Paraná aprova nome social para inscrição no vestibular

Universidades aprovam nome social para inscrição no vestibular

As instituições de ensino estão dando passos cada vez mais significativos para a inclusão social. Em todo o país, diversas universidades estão reconhecendo a identidade de gênero nos registros acadêmicos.

Recentemente, a Universidade Estadual do Paraná (Unespar) liberou o uso do nome social de acordo com a identidade de gênero no ato do cadastro. Os estudantes devem preencher o pedido específico que consta no Menu do Candidato e encaminhar cópia do RG e do CPF. Essas informações constarão nas listagens internas e gabaritos, no entanto, a homologação das inscrições e o resultado final seguirão com o nome que está nos documentos oficiais. A coordenadora geral da Comissão Central do Concurso Vestibular (CCCV), Áurea Viana de Andrade relata:

“Essa é uma forma de tentarmos acolher todos e todas sem fazer distinções. Enquanto universidade e instituição pública entendemos que é nosso compromisso atender as demandas da sociedade

O reitor Antonio Carlos Aleixo explica que a ação pode beneficiar transexuais e travestis:

“Somos contra qualquer tipo de constrangimento, estigma, preconceito e violência. Por isso, acreditamos que com o documento vamos ajudar a combater preconceitos e preconceituosos, bem como construir uma cultura de respeito, diversidade, inclusão social e democracia”

Em 2014, a Universidade Federal do Paraná (UFPR) aprovou por unanimidade o uso do nome social, assim como Universidade Estadual de Ponta Grossa (UPGE), Unesp (Universidade Estadual Paulista), Universidade Federal do Amapá (Unifap) e muitas outras. Estima-se que apenas 13 universidades federais não têm nenhuma resolução interna em relação a questão do nome social. A presidente da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA) Keila Simpson, em matéria publicada no portal G1, crê que tais medidas darão mais segurança à essa pessoas para ingressar nas universidades:

“Qualquer ato que venha a favorecer uma pessoa travesti ou transexual no Brasil já vai valer nossa luta. Com o nome social, as pessoas que tinham dificuldade de fazer um curso voltam a ter vontade de enfrentar esse processo”

Os nomes sociais são utilizados para o tratamento dos indivíduos, visto que a assinatura com outro nome em documentos oficiais pode configurar crime de falsidade ideológica e conflito com os documentos civis. Apesar disso, o grande avanço nessa questão social é muito importante para a aceitação da minoria e diminuição de preconceitos enraizados na sociedade.

As instituições de ensino têm um peso muito forte na sociedade, especialmente na formação de pessoas que estarão inseridas no mercado de trabalho e precisam ser tolerantes com as minorias. O impacto de iniciar esse reconhecimento reflete diretamente na representatividade, ainda tímida, dentro das instituições.

Matheus Soluções – Sistemas de Gestão Escolar – disponibiliza ao mercado do ensino soluções e ferramentas que podem auxiliar as escolas na melhoria de seus processos e no gerenciamento de informações. Em suas rotinas internas, adotou a inserção do nome social, que pode ser utilizado nos casos de alunos transgêneros, reconhecendo que esse é um direito conquistado pela sociedade moderna.

Sem comentários

Postar Comentário

Infográfico grátis

5 MELHORES DICAS para SUPERAR a concorrência e CAPTAR mais alunos
Baixar agora
close-link